terça-feira, 11 de dezembro de 2007

Breve Tratado de Carolina

Respondendo a um post muuuuito antigo... e com muitas saudades da minha amiga Carol :)
Beijos galera, e boa semana!!!



Breve Tratado de Carolina
autor: Príncipe Encantado da Letras (rsrsrs)

1) Da questão

Quando os bárbaros saírem de férias,
alguém fortuito e de inóspitas pegadas
descobrirá no fundo do mundo alguém de face carolina
que lembrará o terrror
que a solidão e a ausência cisma em vingar,
no ramo que brota em meio ao concreto dos dias infames,
os dessonhos que a tua distância perpetua.

É que o seu tempo, espaço
e a tua existência
produziu versos que você nem imagina:
retrizes pontiagudas,
atalhos de trânsito difícil,
pisadas continuadas,
batalhas travadas em campos extensos,
flores róseas com fundos violáceos,
triunfos vulneráveis
e sentimentos arrastados e desagregados
formando a colina que leva o seu nome.
Onde alguem fortuito e de inóspitas pegadas
desejará ao fundo... e muito.

2) Dos genes e da Química

O centro do fuso
- fenômeno geral das células -
dirigiu outras guerras sem dispersar suas tropas.
Frênica, você desarma a todas
como um derrame no córtex
das circonvulações prefrontais,
exigindo essa explicação genética
dos pormenores, do desejo
do ato que nasceu para os seus versos
e que você deve autenticar com um beijo na boca
- essa substância fluorescente
que muitas vezes preciso remover
por meio de um verso de extração apropriado.
Flamma, luz de um incêndio,
possessão de prismas que determinam as cores
recolhidas em vasos especiais,
devorando-me como solução sulfúrica,
atuando sobre mim todo o teu ciclo
e todas as tuas formas de permanência
operando o sonho da metamorfose:
homotética, correspondida.

3) Da Alma

Se eu morresse em você,
em sentido amplo,
ligaria-me a uma asserção, sem possibilidade de dúvida.
Mas teu espelho se diverte
quando aos olhos comunica
a tradução do eterno,
as correrpondências selvagens,
e as transformações mais profundas
que ocasionaram as diferenças fundamentais:
o homem que ingere o veneno de adorar-te,
à guisa de amuleto,
contra todas as doenças do mundo.

4 comentários:

andré hottër disse...

Oieee Lúuuuuuu td bem com vc? Espero que sim... linda, espero vc no sabado okay????

www.andrehotter.blogger.com.br

Anônimo disse...

Lu... Só vc pra relembrar isso!!!
Tô sem palavras.. Lindo, né?!?
Obrigada, amiga!!! hehe
(Ah, se eu soubesse... hehe)
Beijos...

Carol disse...

Saudades das nossas conversas camaradas... Coisas de irmãs, né?!?
Saudades...

Ivan disse...

Eu acho que conhço esse poema...!