quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Reflexões sobre minha chegada aos 32 :)

Quando eu fiz 30 anos, eu estava muito triste. Eu tinha acabado de perder meu ídolo - Michael Jackson.

No meu aniversário de 31 anos, eu estava tão doente que cheguei a faltar na minha própria festa. Estava totalmente sem bateria... Saco cheio, depressão, cansaço (muito cansaço). As dores fortes, a perda da visão, eram os primeiros sintomas da esclerose múltipla se manifestando.

Os anos de 2009 e 2010 foram difíceis pra mim, e tudo levava a crer que 2011 estava indo pelo mesmo caminho. Eu me senti tão sozinha no meio da multidão. Cheguei à conclusão que a vida era mesmo uma merda e fui empurrando as coisas de qualquer maneira. Comecei a fazer o tratamento da E.M., e me conformei que esse seria o meu destino: tomar injeção pelo resto da vida, andar de bengala, trabalhar enquanto o corpo agüentasse, botar comida dentro de casa, pagar o aluguel e ir sobrevivendo. Dinheiro já não me importava mais. Qual era o sentido da vida? Me sentia dia após dia mais acabada, mais envelhecida. E se eu morresse, ninguém ia sentir minha falta.

Agora, ao completar 32 anos, descobri que a vida vale a pena sim. Estou grávida. E descobri, num estalo, que eu preciso viver!! Preciso lutar, trabalhar, respirar, ir além das minhas forças e viver muito!!

Quero ver meu filho(a) crescer e ser uma pessoa infinitamente melhor do que eu fui. Quero que o mundo receba minha criança de braços abertos, e que ela tenha espaço e condições para ser o que quiser, e ser imensamente feliz.

Sinto dentro de mim a força mais poderosa do mundo. Estou gerando uma vida.
Obrigada, meu Deus, pelo melhor presente de aniversário que eu poderia receber. :)

E obrigada, amigos, por estarem sempre a meu lado, mesmo quando eu não estava vendo. Amo todos vocês.

Luciene
08/09/2011

3 comentários:

Ginger disse...

Eu choro...

Luciene Saint's River disse...

xora não!! :') senão eu choro tumém!!

Anônimo disse...

Espero que seu (sua) filho(a) lhe traga bastante felicidade a sua vida, assim como o meu tem me proporcionado. Vc merece.