sexta-feira, 11 de abril de 2008

Cuitelinho



(Folclore recolhido por Paulo Vanzolini e Antônio Xandó)


Cheguei na beira do porto
Onde as onda se espaia
As garças dá meia volta
E senta na beira da praia
E o cuitelinho não gosta
Que o botão de rosa caia.


Ai quando eu vim da minha terra
Despedi da parentaia
Eu entrei no Mato Grosso
Dei em terras paraguaia
Lá tinha revolução
Enfrentei fortes bataia.


A tua sodade corta
Como aço de navaia
O coração fica aflito
Bate uma, a outra faia
E os óio se enche d'água
Que até a vista se atrapaia.

Um comentário:

Ivan disse...

Lu, tudo jóia?
Excelente o "Cuitelinho"!

Um beijo,

Ivan